10/01/10

Arrancada a ferros


O Sporting continua a sua recuperação e num jogo de sentido único garantiu a 3ª vitória consecutiva da época. Num jogo marcado pelas estreias dos novos reforços, foi escasso o resultado para tanto dominio.

A 1ª parte só teve um sentido, com o Sporting em busca do golo e o Leixões somente preocupado em defender. Apesar do dominio os leões nem sempre definiram da melhor maneira o último passe, perdendo algumas boas situações de golo, no entanto, nota-se uma equipa mais dinâmica, com os laterais a subirem no terreno e a apoiarem o ataque criando desiquilibrios. João Pereira esteve em bom plano e mostrou o que ofensivamente pode ganhar a equipa com a sua contratação, isto para além de termos conseguido finalmente um lateral que sabe cruzar em condições.
No lance de maior perigo no 1º tempo, Postiga falha de forma escandalosa o golo, não justificando a aposta ao contrário de Saleiro que fez novamente um bom jogo.

No 2º tempo a toada de jogo manteve-se, o Sporting intensificou o assédio à baliza leixonense e só um super Diego foi evitando o golo leonino, com uma mão cheia de grandes defesas. Já com Pongolle em campo, iniciou-se o festival do GR brasileiro, evitando golos a Izmailov, Vukcevic e ao internacional francês que ia tendo uma estreia em grande.
Pouco depois o Leixões fica reduzido a 10 e as oportunidades de golo leoninas iam sucedendo em catadupa, com Izmailov e Vukcevic novamente a testarem os reflexos do guardião adversário que se mostrava intransponivel. Até que aos 84" Alvalade suspira de alivio com o cabeceamento certeiro de Tonel a garantir a importante vitória para o Sporting.
Até final realce para a grande defesa de Patricio a evitar o golo de Pongolle na própria baliza nos instantes finais.

Vitória muito escassa do Sporting, que dominou por completo a partida, revelando outra mobilidade e dinamismo, pecando apenas na finalização. Só nao percebo a continua ausência de Matias Fernandez do onze agora que a equipa parece ter pernas para acompanhar o seu futebol.
Segue-se o Nacional...

9 rugido(s):

Cantinho do Morais disse...

Ontem gostei do Sporting. Gostei, especialmente, do Sporting da 1ª parte. Um Sporting dinâmico, com alternância de flanco, com diferentes opções de criação de jogo ofensivo e, acima de tudo, com uma intensidade que já não se via em Alvalade desde do jogo com a Fiorentina.

A razão para tal sucesso deve-se a múltiplos factores. E isto de múltiplos factores também é algo novo. Até então, o sucesso resumia-se à inspiração de um ou dois jogadores, da sorte de uma jogada ou ao azar de uma defesa contrária. Mas ontem não. Ontem, a vitória passou por muitos jogadores, pelo treinador, pelos adeptos, resumindo, a vitória deveu-se a uma Equipa.
João Pereira, Adrien, Izmailov, Vukcevic, Tonel e Patrício foram os esteios da equipa. Se uns fizeram o que se esperava e desejava (João Pereira mostrou o deserto que tem sido o Sporting no que diz respeito ao ataque pelas alas, pela intensidade e coragem colocada no jogo, e pela ausência de umas boas "caralhadas" dentro do campo; Rui Patrício foi um guarda-redes grande e de um Grande. Atento e seguro, mesmo quando só tem de "jogar" em dois únicos momentos, num jogo com quase 96 minutos), outros mostraram o quanto são importantes e como foram dolorosas as suas ausências (Izmailov é algo que só a inactividade e a falta de concretização do futebol que produz, justifica a sua permanência em Alvalade. É um jogador fora da nossa realidade, de outra dimensão. Paulo Barbosa nunca imaginou que um dia ajudaria o Sporting).
Por outro lado, surgiram três jogadores que já estiveram nos antípodas dos sentimentos e irracionalidade dos adeptos (e também treinadores). Tonel, Adrien e Vukcevic foram aquilo que há muito não o conseguiam ser. Tonel irrepreensível a defender e a atacar (o golo porque sim, mas até os passes em profundidade muitas vezes fizeram sentido), Adrien exímio na recuperação, pela primeira vez senti-o realizado numa posição. Ganhou muitas bolas à frente do normal e teve no meio-campo de ataque quem o ajudasse na fácil entrega da bola e no inicio da construção. O seu papel, reduzido em dimensão, tornou-o mais eficaz e demonstrou que tem lugar neste Sporting, como teria um qualquer jogador com as suas características (desde Paulo Bento e Ducher que não existe tal jogador). E Vukcevic. Um Vukcevic tão criticado por mim. Ele apareceu. Excelente na 1ª parte, assumindo a finta, deambulando pelo campo, disponível para atacar o adversário, para largar a bola no momento certo, para servir e para ser servido quando ninguém o espera. Este Vuk tem lugar no Sporting. Este Vuk pode beijar o símbolo e ser feliz em Alvalade. Oxalá continue, para nosso bem, mas também por ele.

Não foi um Sporting perfeito, mas foi um Sporting bom e que merecia muito mais deste jogo. Mas estas vitórias, suadas, difíceis, por vezes fornecem mais do que (simples) três pontos. O caminho é em frente. É dar seguimento, é não parar e fazer cada vez mais e melhor. Mais confiante e seguro. A Retoma é possível. A Retoma é essencial.

Quarta-feira tem que se mostrar que isto não é acaso. É tempo de colocar outros em campo para sentirem que são importantes e para se saber se querem andar neste barco. Quarta-feira é para ver se Veloso faz falta ao Sporting de ontem.

ps: Creio que cada vez faz mais sentido o Pedro Mendes (e não o Meira). E era excelente (deixem-me sonhar) o Nani. E um central, qualquer um que salte primeiro que o avançado e que coloque a bola no quintal, quando assim o exige. É que este Adrien e Vukcevic não vão durar sempre (pela intensidade que colocam em campo e porque ainda são "verdes"). Carriço e Tonel não chegam para o que ainda está para vir.



http://cantinhodomorais.blogspot.com/

Armando Silva disse...

Foi uma bela vitória do nosso Sporting, arrancada a ferros, é verdade, mas inteiramente justa por premiar a única equipa que jogou e provavelmente o melhor Sporting da época... Esta exibição faz-me sonhar com uma segunda metade de temporada ao mais alto nível...

Abraço caro amigo

Sporting Eterno disse...

Obrigado, e no meu também já se encontra seu prezado espaço.

http://sportingeterno.blogspot.com/

Tite disse...

Olá caro Visconde!

Que confusão que vai na blogoesfera com 2 Viscondes de Alvalade. Serão da mesma aristocrática família?.

Bem, voltei só para dizer que começo a ficar mais tranquila por ver a modificação da qualidade do futebol praticado pelo nosso Sporting.

Acho que estão no bom caminho e ainda espero mais, como é óbvio.

Rugidos de Muita Esperança

Cantinho do Morais disse...

O caminho só pode ser a subir. E mesmo que não dê para ganhar sempre nos últimos minutos, a evolução tem que sempre existir na qualidade futebolística.

Este blog já está adicionado em:

http://cantinhodomorais.blogspot.com/

DC disse...

gostaria de iniciar assim uma parceria com o vosso blogue
o meu é muito recente ainda sem promoçao
gostaria que me ajudassem neste aspecto
estou tambem disposto a ajudar a divulgar o vosso
obrigado

http://dcfutebolclube.blogspot.com/

m. lopes disse...

Visconde aceitas parceria, divulgação de links??

Responde em:

http://www.gritosdodesporto.blogspot.com/

Saudações Desportivas

Krugul disse...

Caro Visconde,

Não tive oportunidade de ver o jogo, pelo que a sua excelente crónica e comentários como os do Cantinho de Morais ajudam muito.

Também eu estou esperançado em que estejamos no bom caminho. O Nani era excelente, mas temos um jogador que ainda está muito desaproveitado e que apenas precisa de jogar mais para ganhar confiança - Bruno Pereirinha.

Como pontos negativos, volto a frisar as substituições depois dos 90´. Isto é o Sporting! Estamos a ganhar em casa contra 10. O outro aspecto é a titularidade do postiga. Eu colocava o Vukcevic no seu lugar e o Pereirinha como extremo direito, passando o Izmailov para a esquerda.

Saudações Leoninas

Daniel disse...

"Um Vukcevic tão criticado por mim. Ele apareceu. Excelente na 1ª parte, assumindo a finta, deambulando pelo campo, disponível para atacar o adversário, para largar a bola no momento certo, para servir e para ser servido quando ninguém o espera...."

Hã???? Falamos do mesmo Vuk que na 1ª parte faz duas fintas a ele próprio e leva palmas carto? Pois…