24/11/08

Bravos

Um jogo para recordar pela união e espírito de equipa que os leões demonstraram face às adversidades com que se depararam na Figueira. Foram condicionantes a mais, o que só realça ainda mais a importância desta vitória e dos 3 pontos conquistados.

O Sporting apresentou como principal novidade Postiga a nº 10 no lugar de Romagnoli e manteve Carriço ao lado de Polga. A equipa leonina dominou e controlou sempre a partida, marcando na 1ª oportunidade do jogo pelo inevitável Liedson, após boa recuperação e combinação com Derlei.
A Naval respondeu pouco depois através de uma grande penalidade cometida por Caneira de forma imprudente e que fez brilhar Rui Patricio, mantendo o Sporting em vantagem.
Rui Patricio que foi admoestado com cartão amarelo aos 37" por atraso na reposição da bola em jogo (!!!), demonstrando o Sr. Soares Dias clara má fé neste capitulo, ou algo mais do que isso...
Até final da 1ª metade, destaque para 3 situações claras de golo desperdiçadas por Veloso, Liedson e Izmailov, voltando a revelar a ineficácia leonina que poderia ter sentenciado a partida logo ali.
No 2º tempo o Sporting voltou a entrar bem e a gerir a partida, sem que a Naval fosse criando perigo junto da baliza leonina. Depois surge novo caso, Carlitos tem uma entrada para vermelho que o árbitro não "vê" e em seguida expulsa, bem, Derlei por entrada semelhante. Dualidade de critérios por demais evidente em claro prejuízo do Sporting que se via assim reduzido a 10, em novo acto irresponsável e que merece uma reprimenda de Paulo Bento pela reincidência.
Os leões passaram a jogar mais na expectativa e deram o controlo do jogo à Naval que continuava a revelar imensas dificuldades em criar perigo.
Pouco depois Caneira comete infracção para amarelo e coloca o Sporting reduzido a 9 elementos, fazendo com que a equipa abdicasse quase de atacar e defendesse com unhas e dentes a vitória. Mas pouco depois nova condicionante, Abel lesiona-se e o Sporting organiza-se com Pereirinha e Veloso nas laterais e Izmailov, Moutinho e Adrien a tentarem fechar os caminhos do meio campo, na frente Liedson sozinho, lutava contra tudo e todos.
Mesmo reduzido a 9 jogadores, foi do Sporting a melhor ocasião da 2ª parte, com Liedson a permitir a defesa da noite ao guardião navalista.
Foi uma vitória justa, do querer, da garra e do espírito de sacrifício e união da equipa. É pena que nem sempre isto aconteça.
Realce para Liedson que voltou a resolver e foi enorme na ponta final, Carriço assume-se como central de eleição e Patrício afinal também vale pontos.
Segue-se o Barça e a liderança do grupo C da Champions.

4 rugido(s):

fantasma do Óculo disse...

Bravíssimos, caro Visconde! E confesso ter ficado extremamente satisfeito pela união e organização demonstradas, pelo Carriço e pelo Patrício.

Abraço Leonino!

Gnitrops disse...

Foi mesmo contra tudo e contra todos!

Que continuem com este espírito!

SL

Armando Silva disse...

Grande vitória do querer e da garra... Assim sabe ver o nosso Sporting jogar, jogadores guerreiros e lutadores, que dignificam a camisola que vestem... nós agradecemos e apoiamos, agora joguem sempre assim!!!

Grande abraço caro amigo

Wolverine23 disse...

Concordo com a tua ideia no Post, Visconde, o Sporting foi lutador QB para um jogo desta dificuldade, e também vejo que o arbitro teve neste jogo 2 pesos e duas medidas, ao não expulsar o jogador da Naval, mas as 2 do Sporting foram justas, é preciso pensar porquê é que Derlei (jogador experiente) se passa tão facilmente e Caneira comete uma falta ingénua para 2 amarelo.
Julgo que ai Paulo Bento tem culpa no Cartório, não digo que ás vezes não tenha razão na fraca arbitragem em Portugal, mas ostilizar os arbitro só pode dar nisto.
Em contra-ponto o benfica tem arbitragens bem mais favoráveis ás suas cores.

Abraço, e boa sorte para Quarta, é possivel vencer o Barça.