01/08/08

Personas non-gratas

Tal qual o "Padrinho" e a sua "máfia", estas personagens do futebol dos tempos modernos actuam nos mesmos moldes e só têem o reconhecimento pessoal e enriquecimento como metas, não olhando a meios para atingir os seus fins. Falo claro está, dos empresários de futebol, reconhecendo que existem alguns que respeitam as regras e os bons costumes, a grande maioria são uns mercenários sem escrúpulos que só olham ao seu bolso e aos seus interesses não respeitando clubes, nem pessoas, criando situações de ruptura quando sem bases de fundamento e provocando problemas evitáveis, só para satisfazer a sua sede de poder e receberem as suas chorudas comissões.
Isto tudo para chegar ao caso concreto do Sporting, onde me parece estar o calcanhar de Aquiles do clube, neste momento. A SAD e equipa técnica fizeram um planeamento como há muito não se via em Alvalade, mas quando tudo parecia ir no bom sentido, eis que surgem em cena estes senhores e lançam o pânico nas hostes leoninas, fazendo tremer aquilo que parecia ser uma estrutura sólida.
Zoran Stojadinovic, empresário de Vukcevic e Stojkovic, foi o 1º a causar algumas dores de cabeça. Aproveitando alguns descontentamento do montenegrino por ter sido suplente na final da Taça, veio a público dizer que não entendia porque não jogava e se continuasse assim tinha de ponderar o futuro do atleta, revelando depois nomes de vários clubes supostamente interessados no atleta, só que propostas reais só uma, do Bolton e longe do que o Sporting pretende. Embora recusada de pronto, o Sporting não se livrou de mais uma dor de cabeça e de mais um caso que podia ter sido bem pior, esperando que a bomba não rebente daqui a uns meses.
O mesmo empresário tem a seu cargo o maior imbróglio leonino, Stojkovic, cujo feitio, aliado à falta de humildade e incompetência deste tem posto em causa uma carreira que se ante vinha de sucesso.
Paulo Barbosa foi o senhor que se segue, afirmando por diversas vezes que tinha vários "tubarões" europeus interessados em Veloso, o jogador ficou com a cabeça inchada e veio solicitar a descida da cláusula de rescisão para poder sair. O Sporting não acedeu e até hoje propostas nem vê-las. Agora o jogador já disse que quer permanecer mais uma temporada e jogar ao seu nivel, mas com esta novela, Veloso "perdeu" a influência que tinha na equipa e o Sporting sofreu com isso.
Pini Zahavi é o sanguinário do momento, conseguiu ser empresário de João Moutinho muito às custas do pai, vem oferecendo-lhe mundos e fundos, fez-lhe uma lavagem cerebral e fez-lhe crer que o Everton (!!!!) é o clube ideal para resolver os seus problemas e a porta de passagem para um clube de topo. Zahavi aproveitou-se de um momento de maior fragilidade do 28 leonino e transformou um icon do clube num jogador igual a tantos outros. Para isso teve a ajuda do pai e gerou a controvérsia que agora é noticia diária em Alvalade. Moutinho quer sair e está com a cabeça nos dólares. O Sporting só aceita, e bem, a saída pelo valor da rescisão.
Para terminar, hoje leio que Gilmar Veloz, empresário de Liedson, traz uma proposta concreta do Internacional de Porto Alegre para contratar o levezinho. Espero que isto não passe de noticia para vender jornais e não estejamos perante mais uma novela. É que não se compreende que os melhores jogadores leoninos estejam constantemente a ser bombardeados com pseudo propostas enquantos aos outros clubes nada chega...
Posto isto, e depois de um defeso particularmente tranquilo e bem planeado, surgem a curto prazo do inicio das competições, problemas em catadupa para o Sporting resolver, por isso pergunto, para quando uma posição firme do clube que demonstre realmente quem manda em Alvalade, que é o Sporting quem dita as sua leis. Todos este tipo de gente devia ser banida do nosso território, para que todos os anos não sucedam histórias semelhantes. É que apesar de muitas desta novelas terem com objectivo a divulgação e inflação dos preços dos jogadores, o Sporting é constantemente destabilizado com noticias do género.
O Sporting tem agora no caso de Moutinho oportunidade de demonstrar isso mesmo, será que é capaz de o fazer? Espero bem que sim e de uma vez por todas...

18 rugido(s):

PSN disse...

Caro Visconde,

Bela análise!

De facto, os empresários são os abutres do futebol e aproveitam-se da fraca inteligência dos jogadores para criarem este clima de especulação, de traições e de instabilidade.

Como se os contratos assinados valessem nada e a palavra nada representar.

Infelizmente, estamos condenados a coabitar com estes abutres...

SL
PSN

Renata A. disse...

Tem toda a razão. Os empresários julgam-se donos e senhores do mundo desportivo, tendo sempre um único alvo: dinheiro. Essa sempre será a sua principal motivação (obviamente que ainda há excepções).

O Sporting pode queixar-se e bem. Com todos os alegados interesses em jogadores do Sporting, a situçao torna-se insustentável. O Sporting não pode ceder às suas pretensões. Se há contratos, são para se cumprir, não para serem encarados como um simples papel que se pode deitar fora.

SL

mpre27 disse...

Porra! Que lista terrível deixaste aí. Essas sanguessugas mereciam aparecer nos "10 most wanted" do FBI.

Abraço Leonino!

ps: não ligues a BullShits ;)

miguel_canada disse...

Você disse:
"É que não se compreende que os melhores jogadores leoninos estejam constantemente a ser bombardeados com pseudo propostas enquanto aos outros clubes nada chega..."
Eu pergunto:
Aos outros clubes? Quais? Só se for ao SLBosta porque no meu FCPorto, além da novela Quaresma, já "nos venderam" quase meio plantel.
E preciso saber filtrar os disparates que se escrevem na aBola e no Record senão vais andar sempre com a cabeça em agua!

Tite disse...

Felizmente, caro Visconde,
que o Internacional já desmentiu o seu interesse pelo Liedson.
Coisas de empresários desonestos... bah!!!!!
SL

visconde disse...

Caro Miguel_canada

Não me lembro, excepção ao Quaresma, de nenhum jogador do Porto vir dias a fio com clubes atrás deles de todos os campeonatos e mais alguns, posso estar enganado, mas esta situação só acontece no Sporting e muito por culpa da direcção.

SL

Anónimo disse...

Caro Visconde

Excelente analise.
Aquilo que penso e que estas figuras sinistras sao inevitaveis no futebol moderno. Num espirito de "if you can't beat them...", num mundo ideal o Sporting deveria seleccionar alguns empresarios com quem manteria relacoes privilegiadas e que teriam alguma cobertura do clube para representar os jogadores leoninos mas a troco de evitar perturbacoes deste genero. O problema e que quando ha grandes somas envolvidas as pessoas esquecem muito rapidamente as suas lealdades.

A alternativa seria manter os jogadores muito bem acompanhados psicologicamente para evitar que cedessem as pressoes dos empresarios, e blindar o Departamento de Comunicacao como se de uma ditadura se tratasse, garantindo pelo menos que apenas os empresarios fariam "barulho", sem serem os proprios a cometerem erros marcantes para o resto das suas vidas.

A mim irrita-me ver Gilmares Velozes vir espalhar brasas sempre que um dos seus jogadores esta em processo de renovacao. Mas com isso posso eu bem. O que aconteceu com o Moutinho e que me parece inaceitavel e irremediavel. Talvez esteja ai o unico ponto em que o Sporting pode actuar de forma a cortar os males pela raiz.

Saudacoes Leoninas, parabens pelo blog
Petinga

Anónimo disse...

Este comportamento da imprensa portuguesa já não é de agora.Eu, que já cá ando há uns anitos, sempre vi os "jornaleiros" deste País, a rastejarem diante de interesses que não têm nada a ver com o futebol e ainda menos com o jornalismo.Sempre foi assim.Os jogadores do Sporting, para essa gente, estão sempre à venda.Os dos lampiões, mesmo quando eles dizem que querem sair como é agora o caso, não se fala.Pelo contrário, as noticias sobre eles é que estão para comprar este ou aquele.Do Sporting, sempre falaram pela negativa.Do outro lado, é sempre pela positiva, mesmo quando não há razões para isso.Veja-se o que se passa actualmente com os lampiões.Fazem exibições de merda, ainda não sabem quais são os jogadores com que vão ficar e esses merdas viram-se para os lados de Alvalade, "preocupados" com o Moutinho.Façam como eu já faço há muito tempo.Não comprem esses JORNALECOS de merda.Dêem-lhes uma "ajuda" para que tenham mais dificuldades financeiras.Os Apitos também estão instalados por lá.Só "ajudando-os" a cair dentro da FOSSA da merda, é que poderemos um dia ter um futebol mais limpo.

Armando Silva disse...

Sem duvida que um dos grandes males do futebol moderno reside nos empresários, "animais" que apenas querem "espremer" ao maximo os seus representantes... Enquanto isto não mudar estaremos sempre muito mal...

Grande abraço caro amigo

miguel_canada disse...

Caro Visconde, então o Lucho? Foi a novela Valência no ano passado e a novela Atlético de Madrid este ano?
E o Bosingwa com o Aston Villa no ano passado?
E o Bruno Alves?
O problema que se passa em relação aos jogadores do Sporting, nomeadamente o Moutinho e o Veloso, e que quando a bola e o Record não tem nada para escrever sobre o seu acima de tudo clube da gaivota, vocês tornam-se automaticamente no segundo alvo daqueles gajos.
Admito que como esses canalhas não gostam de nos deixam-nos um pouco mais em paz. Somos uma espécie de terceira opção em termos de envenenamento das massas que compram aquelas espécies de pasquins.

JG disse...

Infelizmente hoje é muito dificil lidar com nesta situação. Os empresarios são autenticos comerciantes de carne dos tempos modernos. são os Pimps do futebol, vestidinhos de fato armani e belas gravatas de seda! É muito dificil para os clubes enfrenta-los porque eles imediatamente viram os "seus" jogadores contra o clube! Hoje que Caneira é um heroi de Alvalade a memoria não é muita para o que se passou há uns anos atras com o jogador e o seu empresario. Para refrescar a memória, relembro que Caneira, Paulo Costa e Alhandra rescindiram os seus contratos porque...o Sporting recusou reunir com o empresario Paulo Barbosa!

A atitude do Sporting nos ultimos anos também tem ajudado à festa! O que contam são os numeros e os activos e portanto não esperem que os jogadores tenham uma atitude diferente quando o (triste) exemplo vem de cima! Afinal, parece que isto é uma Empresa e não um Clube, n´est pas?

Finalmente e para concluir, concordo com alguém que aqui escreveu que quem compra o Record merece isto! Se alguém fizer o apanhado das noticias da saída do Veloso, Moutinho, Izmailov, Vukcevik, Polga, Liedson e até do Pereirinha e do Rui Patricio, vai chegar á conclusão que cada um deles já saíu para uma duzia de clubes diferentes, num unico ano! Alias, a novela Veloso começou em Setembro (?????) da epoca passada! Ainda a época estava no inicio...

A situação chegou a um ponto tal que até o Internacional de Porto Alegre desmente o interesse que supostamente teria no Liedson e o empresario continua a cantar a cantiga do bandido! O Polga desmente interesse doutros clubes e o Gilmar continua a dar-lhe com supostos interessados!INACREDITAVEL!

Anónimo disse...

Apelo aos Sportinguistas: Deixem de comprar o Record e A Bola, a disparidade de tratamento entre clubes é absurda: Se fizermos um esforço são menos uns tostões que gastamos´, evitamos ler apenas notícias elogiosas ao 4º classificado e desprezíveis ao vencedor da taça de portugal e supertaça.

Anónimo disse...

Sportinguista: Eu deixei de comprar a Bola e o Record, e tu quandon deixas?

Viva o Sporting.

JL Portela disse...

Assim é o futebol moderno.
€€€€ x etc...

SPORTING É NOSSO!

Anónimo disse...

o "ojogo" é que não compro...!
aliás vejo tudo online!!

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

O 7 Maldito disse...

Onde pára o Visconde? Será que acordou com uma cabeça de cavalo na almofada do lado?

Pedro Pita disse...

Antes de mais parabéns pelo blog, senhor visconde.

Ultimamente parece que há uma lei no Sporting para condenar quem assobia. Quer-se dizer o senhor Capitão do Sporting Clube de Portugal atreve-se a dizer o que disse, e nós adeptos temos que comer e calar!... Esta regra, alicerçada num pragmatismo saloio e serôdio, merece ser devidamente condenada. Eu assobiei e assobiarei nem que seja o único a fazê-lo! E defendo que o vendam já, porque o caracter dele ficou à vista. E porque ameaça tornar-se um problema insolúvel.

Moutinho firmou este ano um contrato de trabalho desportivo com o Sporting Clube de Portugal, tendo visto o seu salário substancialmente aumentado. Segundo rezam as crónicas é um dos atletas mais bem pagos do clube, o que no caso é natural visto se tratar de um jogador de qualidade, ainda por cima o Capitão. Diga-se que na raiz do problema, a meu ver, esteve esta designação como Capitão, braçadeira que deveria sempre ter estado no braço de Anderson Polga. Adiante. Veio o Euro 2008 e o puto faz um joguito razoável com a Turquia. Logo surgiram, a acreditar nos jornais, os colossos do futebol mundial a chorar pelo Moutinho. De resto o atleta mostrou bem como isso o afectou. Depois deste primeiro jogo não fez mais nada de jeito, a não ser falhar um golo de baliza aberta que nos teria dado o 1-0 contra a Alemanha... Nesse mesmo jogo lesiona-se. Vem o defeso. As dúzias de clubes interessadas no Moutinho, no fim da época balnear, resumem-se ao Everton, esse colosso do futebol inglês... Porém o Everton, usando da astúcia própria das aves de rapina, não está disposto a pagar os 25 milhões da clausula de rescisão do contrato de Moutinho. Ao invés decide abordar o jogador acenando-lhe com umas recompensadoras libras, manobra completamente ilegal à luz dos estatutos da UEFA, que estranhamente não revela o zelo que põem noutras situações a defender princípios que são elementares. Até aqui tudo bem na atitude do jogador. Conduziu o assunto através do seu empresário e parecia tranquilo e sossegado.

Eis senão quando estamos na véspera do primeiro Derby da época e, já depois da hora reservada às conferências de imprensa, o nosso Capitão chamou a imprensa escrita para lhes dizer que quer sair do Sporting “por motivos pessoais”!... Reparem no cinismo da coisa: Nem homem sabe ser, não dá a cara, limita-se a falar pelos jornais. Mais: Não diz a verdade, não diz que se quer ir embora por causa do vigor das libras, diz que está descontente “por motivos pessoais”... Mas que motivos? O facto de não ter jogado ponta de um corno durante metade da época passada e de, ainda assim, continuar a ser levado ao colo como um deus pelos nossos adeptos?! O facto de ser um dos atletas mais bem pagos do clube? O facto de ser o Capitão da equipa com a idade que tem?!

Aqui chegados como se diz em bom português estava o caldo entornado. Paulo Bento a meu ver reagiu mal. Devia ter imediatamente retirado a braçadeira de Capitão a quem demonstrou não ter a mínima estatura moral para o ser. E acresce que o clube deveria ter aberto o devido processo disciplinar para quem não cumpriu as regras. A reacção dos adeptos foi dividirem-se: uns assobiam( como eu), outros aplaudem. Aplaudem não sei bem o quê, mas digo eu que se calhar aplaudem quem maltrata o Sporting e quem não tem nível para representá-lo. E são seguidistas de uma direcção que não mostrou os dentes quando devia em relação a um caso claro de indisciplina. Vejamos pois as razões porque assobiamos.

Assobiamos um ingrato. Assobiamos quem muito amámos. Assobiamos um Capitão que não pode sê-lo. Assobiamos a indecência com que nos tratou. O Sporting não precisa de Moutinho nenhum desta vida para continuar ser um clube grande. O Sporting não é, não pode ser, não deve ser, nenhum Everton de trazer por casa. Por isso também assobiamos o modo como o caso foi conduzido pela direcção, e o modo como se tentou branquear o que aconteceu como se fosse tudo normal, e como se fosse correcto o procedimento do jogador.

Aqui chegados vem a estreia com o PSV, e Moutinho afirma no final que está “de corpo e alma” no Sporting”. A frase foi agora repetida por Ronaldo( eles aprendem todos da mesma cartilha...). Além de cínico é mentiroso. Quem está de corpo e alma num clube não diz que se quer ir embora. Eu diria que foi pior a emenda que o soneto. Quer-se dizer, e uma vez que parece frustada a contratação, o jogador fez de conta que não disse nada, o clube fez de conta que não era nada com ele, os adeptos é que são uma cambada de intolerantes. Assim sendo a culpa não é de Moutinho, é dos adeptos que assobiam!...

Que estranha conclusão. Portanto em vez de pedido de desculpas, mais que devido neste caso, temos a vitimização como estratégia para resolver o problema. A culpa é claro que é dos que assobiam, esses malandros. E dizem eles que o tempo vai curar as feridas... No meu caso, e creio que no caso de muitos mais adeptos, não vai curar ferida nenhuma. Moutinho não pode ser o Capitão do Sporting sem nos pedir desculpa. Por isso o assobiámos e o continuaremos a assobiar. Assobiar à a única forma que temos de punir Moutinho, coisa que o nosso clube não fez. Assobiar é a única forma que temos de demonstrarmos a Moutinho, a Paulo Bento e à direcção do clube que ainda não somos o Everton!

Digo-o com a legitimidade que tem quem nunca assobiou um atleta do Sporting Clube de Portugal, mas neste caso, facto assaz insólito, estou totalmente ao lado das claques. Espero aliás que não desistam de assobiar porque a situação não pode ficar impune. O futebol não pode ser só dinheiro e capital, tem que ser um desporto de valores. É em nome deles, e do que significa ser o Capitão do Sporting, que assobiamos Moutinho.

E já agora convém pedir que ninguém nos dê lições de moral e de sportinguismo. Respeito imenso quem aplaude, muito embora não perceba, por mais voltas que se dê ao texto, porque o faz ou sequer o que aplaudem. Respeitem igualmente quem assobia porque a culpa, por mais que o tentem fazer crer, não é nossa. A culpa é neste caso do abjecto Moutinho, pela entrevista que deu, e da direcção do Sporting Clube de Portugal, pela incompetência que revelou a tratar do caso.

Estes são a meu ver as razões para os problemas com que nos debatemos. Quanto aos empresários havia um bom remédio para os por na ordem: obrigá-los a fidelizarem-se a um clube. Mas nestes tempos de liberalismo selvagem ninguém quer ouvir falar nisso...

Um grande abraço